domingo, 26 de abril de 2015

Incertezas





Meus pensamentos são contraditórios!Estou confusa,sensível.Choro por tudo e por qualquer motivo.Talvez a minha sensibilidade esteja muito aflorada.Ouvir uma música causa  uma reação não esperada,ora sorrio ora choro.Não consigo compreender o que anda acontecendo comigo.Será medo?Insegurança?Preocupação em estar correndo atrás dos meus sonhos? A  saudade de pessoas queridas das quais eu sei que nunca mais voltarão?De amizades abandonadas?

De uma coisa eu tenho certeza.Guardar tudo dentro de mim,está tornando uma loucura.Preciso gritar,expor para as pessoas que no fundo ainda sou uma garotinha que tem medo do escuro.Que não estou pronta para assumir as responsabilidades que a sociedade impõe.Doí saber que nada disso é passageiro.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Desabafos

Poderia escrever milhões de coisas banais,mas nenhuma delas serviriam para expressar o que sinto ultimamente.

A verdade é que ando cansada demais.Não por fazer exercícios,ir para a escola ou trabalhar.Estou cansada das pessoas que me cercam,que me decepcionam a cada dia que se passa.Meus pensamentos tendem a me trair a todo o momento.As vezes está tudo bem,mas sei que é temporário.Todos os dias eu vejo os mesmos rostos,os mesmos lugares,as mesmas historias...as mesmas falsidades que vão me dilacerando sem dó.Talvez se eu tivesse participado de alguma guerra estivesse me sentindo melhor,mas daí eu me identificaria,pois a guerra acontece dentro de mim constantemente,diariamente.

Nunca fui o tipo de pessoa que se automutila e se esconde,achando que o mundo vai se importar.Ninguém se importa com as coisas que eu falo ou faço.O principal é que sei que estou sozinha neste momento.Antes eu tinha amigos do qual eu me orgulhava. Dizíamos que nada poderia nos separar,pois hoje tenho uma nova visão.Sim,hoje somos completos estranhos,nossas vidas se tornaram rotineiras como a de qualquer adulto.Cada um decidiu seguir o seu caminho,mas nem um "oi" cheio de vida é capaz de me dirigir.Crescer é a merda,mas sei que por onde eu passo deixo a minha marca.Não porque sou a coitadinha da história,mas porque eu ofereço um sorriso,uma palavra amiga a quem precisa,mesmo sendo que eu estou precisando.

Tenho medo de fazer alguma loucura.Não porque tenho medo da morte.A morte para mim é apenas um estágio da vida pelo qual todos nós seremos obrigados a passar.As pessoas não merecem sofrer pela minha morte.Todos os dias eu morro um pouco.Penso em muitas coisa que me levariam para longe daqui,mas não consigo fazer isso.A ideia do suicidio é perfeita.Gostaria de ter coragem e forças para acabar com a minha vida inutil e sem graça.

Sinto que perdi uma parte da minha vida ao dar atenção para quem não merecia.Certas pessoas foram a minha prioridade,mas hoje não significam mais nada para mim.Se é para viver sozinha,vou viver do meu jeito.Não preciso de alguém me perturbando,dizendo que eu devo fazer,agir do jeito que ela quer.Vou tentar viver dia após dia,mas se não funcionar,vou morar com os anjos...

domingo, 5 de abril de 2015

A Família que se Escolhe




A minha família. A que eu escolhi para conviver durante essa trajetória cheia de desafios e conquistas.Somos malucos,mas somos confiantes.Acreditamos na nossa capacidade de sermos a diferença no mundo.Isso já basta para nos sentirmos leves,gostamos de tirar as pessoas de suas rotinas trazendo mais humor e sonhos para aqueles que se encontram perdidos no momento,transmitimos a nossa mensagem todos os dias,pregando a positividade,harmonia e sintonia.Somos atores,dançarinos,designers,dramaturgos,escritores,cenotécnicos. Somos OS HERMENÊUTICOS.
Somos uma família grande,com historias e aventuras para contar.